JOSÉ WALTER MACIEL LOPES

JOSÉ WALTER MACIEL LOPES

Advogado jwalter.jus.com.br

  • Bagé, RS
  • 41.014/RS
  • (53) 3242-1647

Perguntas, Respostas e Comentários de José Walter Maciel Lopes

  • comentou em Ser a favor do direito de defesa não tem a ver com ser a favor da prática do estupro

    Terça, 21 de fevereiro de 2017, 18h18min

    Os Juristas sabem, todos sabem, mas os que melhor sabem a ponto de suas atuações contribuem a favor do delinquente, notadamente nesses casos, com raras exceções, são os advogados chamados "portas de cadeias"> São aqueles que se prestam para correr atrás do infrator para orientá-los a negar a autoria do crime. Estes ão aqueles quem nem a OAB consegue pegá-los. E, essa situação, que acontece em outros casos semelhantes, naturalmente proporciona maus costumes. Faz certos delinquentes contumaz a ponto de ficarem sarcástico e sair debochando das vítimas. Pode até ser um tanto triste essa realidade, mas é real. Para resolver isso só com uma revolução de conceitos da qual não se tem esperança.

  • comentou em Golpe parlamentar de 2016 no Brasil e o afastamento da Presidente:

    Sexta, 23 de setembro de 2016, 18h18min

    O trabalhador em geral luta diuturnamente pelos seus direitos, os estatais, notadamente os concursados comumente têm seus direitos solapados atitudes inconsequentes dos governantes, que o fazem sem o menor constrangimento em nome das dificuldades do estado. Quando acontece algum desmando, assim identificado pela quase totalidade dos legítimos representantes do povo no congresso, ainda assim aparece alguém capaz de ficar com peninha e fazer vistas grossas para tudo que está as claras. Esse tipo de atitude normalmente é identificada nas pessoas que têm bandeiras e que as suas tendencias são mais fortes do que o seu próprio senso de Justiça. Digo isso p.q. por toda minha vida tenho discordado com o que entendo errado inclusive em desfavor dos meus próprios filhos. O Brasil já é conhecido mundialmente pelo jeitinho malandro que, em verdade, nada mais é do que pura safadeza. Penso que essas coisas, enraizadas na cultura deste povo, só deverá mudar depois de algumas décadas e depois que pessoas letradas e todos os que estão em condições de fazerem opinião resolverem a ser mais conscientes nas suas próprias opiniões. Até lá, salve-se quem puder.

  • comentou em O Sétimo Mandamento do Decálogo do MPF: desamparar a defesa no processo penal

    Quarta, 07 de setembro de 2016, 10h24min

    Pelo texto fala um advogado criminalista, e entendo que os defensores dos delinquentes, ao longo das últimas décadas tiveram vitorias gigantescas com relação a quem acusa. Aliás, hoje quase já não se fala mais em Advogado Assistente da Acusação, e não é por desnecessidade é porque é muito mais cômodo defender do que acusar. Naquele polo atá a morosidade ajuda, como todos sabem. O rum me tem sido que estou formado em Ciências Jurídicas desde 11/Ago/1982 e até hoje ainda tenho os mesmos desejos de Justiça pela Justiça, apesar deste sentimento para muitos parecer uma ingenuidade. Que vive nesse meio bem sabe disso. Mas, com respeito ao texto acima, por dever de Justiça, o MPF está devendo uma boa explicação. Penso que deverá dizer que não verdade, que não foi isso que quiseram dizer E MOSTRA QUE REALMENTE NÃO FOI, sob pena sofre uma representação a nível institucional para que alguém seja responsabilizado. O melhor mesmo seria aprofundar esse debate a nível nacional e este um foro bem adequado para que toda sociedade conheça os prós e os contras. Ou queremos Justiças, em todos os sentidos, ou também seremos omissos.

  • comentou em Um não à censura

    Quinta, 14 de julho de 2016, 10h24min

    Hoje, no Brasil, é tão acentuado nº de desordeiros, anarquistas e inconsequentes que pode-se identificar com muita nitidez, que a busca da responsabilização de delinquente de togo gênero que se instalaram em pontos estratégicos da nação é rechaçada com muito barulho. Ou seja, está difícil de restabelecer a ordem e a paz social com respeito ao cidadão de bem, ao produtor e aos profissionais que trabalham com seriedade. Aliás, é impressionante com tem gente com coragem para defender corruptos contumaz, com a maior cara de pau.

  • comentou em Inconstitucionalidade da prisão preventiva para garantia da ordem pública e da ordem econômica

    Segunda, 13 de junho de 2016, 10h28min

    É impressionante como é elevado o número de juristas que se apresenta vislumbrando injustiças na prisão de delinquentes em comparação com assistência da acusação (serviço quase em extinção e que eram comum antigamente). Não seria por isso que hoje o Brasil é conhecido por ser o país da malandragem, já que esta assertiva é inconteste? Como os promotores continuam acusando da mesma fora, será que os Advogados acham mais cômodo defender bandido do que defender as vítimas?

  • comentou em Auxílio-reclusão: incentivo ao crime ou um meio de garantir o princípio fundamental da dignidade humana?

    Sexta, 10 de junho de 2016, 10h39min

    Auxilio reclusão é um incentivo ao aumento da criminalidade. É preciso reformular o sistema para quem cada um responda pelos seus atos, ainda que preso. Ou seja, a ressocialização do apenado só poderá a começar quando o Brasil começar uma campanha de conscientização que cada uma deve fazer a sua parte, independentemente de vantagens, mas por consciência. As cadeias precisam aproveitar a ociosidade do preso pra ele aprender e ser útil. Hoje tem delinquente voltando para cadeia para que a família receba o auxílio reclusão.